sábado, 12 de novembro de 2011

Apuramento

O apuramento da espécie é algo que naturalmente acontece na natureza. Uns ficam na mesma, outros destacam-se. Está definitivamente nas nossas mãos a decisão de o fazer. Alguns, como eu, foram criados sem qualquer incentivo ao apuramento e tentaram apurar-se conforme puderam. A muitos de nós não é exigido mais do que uma vida “normal”. Estudar o máximo que pudermos, ter um emprego, casar, ter filhos, ter uma casita nossa e o carrito. A excelência fica onde? E o atrevimento? A vontade de ser alguém que marque a diferença? Oh, isso é para os bons! E quem são estes? São aqueles cuja educação foi mais atrevida, mais encorajadora, aqueles a quem foi dito “tu poderás ser tudo!” Sim, mas não chega, também tem que haver o atrevimento do Ser. Temos que ter a vontade de destacar, de não ter receios, de desbloquear todos os caminhos, no fundo temos que ter a vontade de acreditar em nós próprios, de afirmar o nosso bafo no mundo. Respirar é uma actividade que deveria ser exercida proporcionalmente ao bem que cá deixamos. Respirariam mais devagar aqueles que são enfadonhos, invejosos, que vivem como o vizinho vive, aqueles cujo objectivo não passa por atingir a excelência, aqueles que são amigos só porque dá jeito, aqui no facebook ou noutro lado qualquer, aqueles que desejam mal ao próximo. Respirariam mais depressa os outros, os que fazem algo, os que movimentam o mundo para o bem, os que ficam contentes com o sucesso dos outros, os que aspiram a um ser maior, os que amam. Não esperem mais de mim… nem os meus filhos, nem os meus alunos, nem os meus amigos. A estes vou dizer sempre que aquilo que espero de vocês é unicamente a excelência. Quando, depois de tentarem todas as portas, me disserem “a minha excelência é esta a mais normal” aí eu aceito e descanso porque só assim se constrói uma sociedade melhor, haverá, no entanto, um mais apurado do que outro. Mas de mim não esperem mais nada do que uns empurrões para a frente. Não há nada mais gratificante, na minha vida, que olhar a descoberta que os outros fazem deles próprios e saber que também contribuí para que lá chegassem. Estou aqui para aplaudir e incentivar a vossa respiração acelerada. Os outros, como costumo dizer, são só os outros…lamentavelmente.
(por Celeste Silva)

Sem comentários:

Enviar um comentário