sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Paz podre

Faltam 80 dias para acabar o ano. Ano recheado de pouca coisa positiva. Chegada a reta final confesso que estou assustada, aquilo que eu pensava ser só um problema nosso verifico que está espalhado por todo o lado. 

Europa, continente velho, cansado onde o Parkinson se manifesta nos tremeliques governamentais, onde os governos estão cheios de bonecos novitos que acham que o povo sofre de alzheimer, continente doente, febril, falido onde os manifestantes dão e levam porrada, onde tudo se afunda todos os dias eis senão quando se mancha o nome de Nobel com um prémio atribuído a este continente em nome da paz. Paz? Que paz? Quem se lembrou desta? Esquecem-se da Turquia, ou esta não conta? Da Grécia? Ou esta também não conta? Terá sido um prémio atribuído antes que o continente se afunde numa terceira guerra? Ou alguém se lembrou que o Liechtenstein existe e é representativo de toda a Europa? Assusta-me pensar que as asneiras com carros grandes e pequenos não são exclusivas dos zorros nacionais e que a Europa afinal está infestada com a mesma demência, vale-nos a bandeira europeia ser fácil de hastear.
(por Celeste Silva)

Sem comentários:

Enviar um comentário